terça-feira, 2 de março de 2010

FALÉ

(Carlos Francisco de Carvalho Falé,11/6/1933,Redondo)
Defesa / Médio

51/52-Lusitano Évora--  -jun.
52/53-Lusitano Évora--  -I
53/54-Lusitano Évora--  -I
54/55-Lusitano Évora--  -I

55/56-Lusitano Évora--  -I
56/57-Lusitano Évoraa-  -I
57/58-Lusitano Évora--  -I
58/59-Lusitano Évora--  -I
59/60-Lusitano Évora--  -I
60/61-Lusitano Évora--  -I

61/62-Lusitano Évora--  -I
62/63-Lusitano Évora--  -I
63/64-Lusitano Évora--  -I
64/65-Lusitano Évora--  -I
65/66-Lusitano Évora-   -I
66/67-Lusitano Évora--  -II

67/68-União Montemor--  -III
68/69-União Montemor--  -III
69/70-União Montemor--  -III

















































Falé foi um dos jogadores mais emblemáticos 
do Lusitano de Évora dos anos 50 e 60,épocas
em que o clube eborense disputou a 1ª Divisão
ininterruptamente durante 14 temporadas.
Ainda com idade de júnior já Carlos Falé
fez parte da equipa que venceu o Campeonato
Nacional da 2ª Divisão (1951/52),começando
ai uma ligação aos lusitanistas que duraria
16 épocas.
Defesa-central de categoria,Falé é mesmo 
considerado um dos melhores jogadores da 
história do Lusitano,a par de Vital,José
Pedro ou Fialho,contabilizando 273 jogos
na 1ª Divisão.
Natural do Redondo,Falé representou ainda o 
União de Montemor nas 3 ultimas épocas como 
jogador,na 3ª Divisão Nacional.








""Carlos Francisco Carvalho Falé, conhecido nos  meios futebolísticos por Carlos Falé ou simplesmente Falé, nasceu no dia 11 de Junho de 1933 na Vila de Redondo,  nome que está relacionado com o Penedo Redondo que existiu no primeiro muramento medieval, a pouco mais de trinta quilómetros de  Évora,  Cidade onde está radicado há mais de meio século.
Sendo filho de um Oleiro terá sido moldado habilmente como se tratasse de uma obra de arte das extraordinárias e bem conhecidas Olarias da Vila Redondense
Por outro lado confirmou o velho adágio popular "Se queres obra perfeita manda-a fazer de barro em Estremoz, Redondo ou São Pedro do Corval (antiga Aldeia do Mato).
Por isso as suas qualidades  foram bem definidas tanto como homem como no que diz respeito às futebolísticas, podendo afirmar-se que foi um dos bons defesas que o nosso País conheceu ao longo dos anos.
Em 1950/51 ingressou no Lusitano Ginásio Clube como Júnior e, ao mesmo tempo como era sapateiro de profissão, nas horas vagas arranjava as botas das várias equipas do clube.
Na categoria de Juniores não chegou a aquecer o lugar, uma vez que rapidamente passou a fazer parte da Equipa Principal, juntando-se dessa forma a jogadores que bem pouco tempo antes eram os seus ídolos.
Por vários motivos, em especial  devido às Leis do Futebol de então,  permaneceu no Lusitano até se transferir para o Grupo União Sport de Montemor-o-Novo, já no final de carreira, o que certamente fez com que não tivesse tido maior projecção quer no futebol nacional  como além fronteiras, apesar disso foi Internacional Militar por diversas vezes. Contudo ainda envergou a Camisola do Sporting Clube de Portugal, O Clube da sua preferência dos chamados grandes do Futebol Português aquando da inauguração do Estádio José Alvalade em 10 de Junho de 1956, defrontando o Clube Regatas Vasco da Gama  com vitória dos  Brasileiros por 3-2.
Depois de sair do Lusitano jogou duas épocas no União de Montemor-o-Novo conseguindo  levar o Clube do Regional à 3ª. Divisão após se sagrar Campeão Distrital da Associação de Futebol de Évora.
Como Treinador apesar de ter sido curta a sua carreira ainda  conseguiu ser Campeão Distrital da Associação de Futebol de Évora  com "O Calipolense" - Clube Desportivo de Vila Viçosa, na Época de 72/73  com a consequente subida à 3ª. Divisão Nacional.
Posteriormente  treinou os Juniores do Lusitano Ginásio Clube, onde deu por finda esta sua carreira futebolística.
Para finalizar dizemos que Falé continua ligado ao Lusitano e, directa ou indirectamente ao Futebol e à Cultura ao preservar a história do Clube , organizando e recuperando todo o espólio que consegue relacionado com o mesmo.
Por isso tem nas instalações do clube um Pequeno Museu que  para além do valor material tem um valor estimativo incalculável , a que certamente os seus  vindouros não ficarão alheios.""

Texto da autoria de Armando Ribeiro,autor do Blog:
"Armando Ribeiro-Colecionador-Évora"
 http://acribeiro.blogs.sapo.pt/48301.html





Falé,á direita,capitão do Lusitano com o seu número 5,
recebendo a "Taça Correção"



Falé a titular no Lusitano em 1956/57,a época da
melhor classificação da equipa alentejana na 1ª
Divisão:5º lugar.Recorte do jornal "Diário de Lisboa"
Falé,o 3º em cima,da esquerda,já na equipa principal do
Lusitano no ano da conquista do Campeonato Nacional
da 2ªDivisão,1951/52
Falé,em cima,á esquerda,no Lusitano em 1958/59
Falé,em cima,á esquerda,no Lusitano em 1959/60
Ficha de Falé em 1956

Noticia da chegada de Falé ao U.Montemor
Falé,á dreita,no União de Montemor

2 comentários:

Anónimo disse...

NUNCa mais o futebol alentejano tem destes jogadores

K.L. disse...

verdadeira lenda