sábado, 30 de outubro de 2010

CORTÊS

(Joaquim Cortês da Costa Reis Alvo,31/10/1923,Portimão)
Defesa

40/41-Portimonense-----------reservas
41/42-Portimonense-----------II
42/43-inactivo
43/44-Olhanense--------------I
44/45-Olhanense--------------I
4
5/46-Olhanense--------------I
46/47-Olhanense--------------reserva
47/48-Boa Esperança Porti.---II
48/49-Boa Esperança Porti.---II
49/50-Boa Esperança Porti.---II
50/51-Silves-----------------III
51/52-Silves-----------------III
52/53-Portimonense-----------II
53/54-Portimonense-----------II
54/55-Portimonense-----------II


























 


















Cortês foi um defesa que iniciou a sua
carreira no Portimonense mas foi no
Olhanense que começou a dar nas vistas ao
se estrear na 1ª Divisão com apenas 20 anos.
No entanto,nos rubro-negros em 4 temporadas,
não dispôs de muitas mais oportunidades para
se afirmar na primeira equipa,devido aos
vários defesas de qualidade que a equipa
dispunha,como eram os habituais titulares
Nunes e Rodrigues.
De volta a Portimão,Cortês(ou "Joaquim Cepa
",
como era mais conhecido na cidade do Arade)
não retornou ao Portimonense mas sim ao
seu grande rival citadino da altura,o Boa
Esperança
,que também competia na 2ª Divisão.
Depois de também ter representado o Silves,
Co
rtês regressa então ao Portimonense para
ser titular na defesa de uma equipa que
contava com três jogadores espanhóis:Pagola,
que era jogador/treinador,Reyes Molina e
o avançado Rueda.
Familiar de várias outras 
figuras ligadas ao Portimonense,como Celestino 
Alvo,Rogério Alvo,José dos Reis Alvo,ou o,
também jogador,José Joaquim Alvo,Cortês também 
aparece em muitas fichas de jogos da época com 
o nome de Alvo.




Cortês (ou Joaquim Cepa),á direita na imagem,como o
nº 3,num jogo do Portimonense contra o Almada em
1953/54
Cortês,o 2ª em cima,da esquerda,no Boa Esperança Portimonense

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

SOARES

(Joaquim Domingos Soares,1/6/1922,Olhão)
Extremo / Médio-direito
41/42-Olhanense---------I
42/43-
Olhanense---------I
43/44-Olhanense---------I
44/45-Olhanense---------I
45/46-Olhanense---------I
46/47-Olhanense---------I
47/48-Olhanense---------I
48/49-Olhanense---------I
49/50-Olhanense---------I
50/51-Olhanense---------I
51/52-Olhanense---------II
52/53-Vitória Setúbal---I
53/54-
Vitória Setúbal---I
54/55-Vitória Setúbal---I
55/56-Vitória Setúbal---I
56/57-Vitória Setúbal---I
57/58-Vitória Setúbal---I
58/59-Vitória Setúbal---I
59/60-Vitória Setúbal---I
60/61-União Montemor----II
























 























Jogador algarvio que ficou na história de
dois tradicionais clubes do nosso futebol:
Olhanense e Vit
ória de Setúbal.
Em Olhão,onde nasceu,ficou conhecido por
"Joaquim Pequenino" e fez parte das fortes
equipas do Olhanense que disputaram a 1ª
Divisão durante dez temporadas consecutivas.
Com a queda dos sotaventinos para o segundo
escalão,Soares,já com 30 anos,foi para
Setúbal,onde ainda jogou por mais oito anos
na Divisão principal,alinhando sempre na
primeira categoria.
Com 39 anos ainda actuava no União de
Montemor
de Miguel Vinueza,antes de terminar
a carreira em definitvo.





Soares,em baixo,á esquerda,titular no Olhanense em
1949/1950

Soares no Vitória de Setúbal



Ficha de Soares em 55/56






Joaquim Soares,o 2º da direita,em cima,no União de 
Montemor treinado por Miguel Vinueza, já no final da carreira

 

RIBEIRO

(Celestino Augusto Pimenta Ribeiro,26/6/58, Ponte de Lima)
Lateral-esquerdo / Direito

72/73-Belenenses----ini.
73/74-
Belenenses----juv.
74/75-Belenenses----juv.
75/76-Belenenses----jun.
76/77-Belenenses----I
77/78-O Elvas-------III
78/79-O Elvas-------II
79/80-O Elvas-------III
80/81-O Elvas-------III
81/82-
O Elvas-------II
82/83-O Elvas-------II
83/84-O Elvas-------II
84/85-O Elvas-------II
85/86-O Elvas-------II
86/87-O Elvas-------I
87/88-O Elvas-------I
88/89-O Elvas-------II
89/90-
O Elvas-------II
90/91 O Elvas-------II H.

























 
















Jogador histórico do Elvas C.A.D., Ribeiro
esteve sempre presente nos melhores momentos
do clube alentejano,desde finais dos anos 70
at
é ao final da sua carreira,no inicio dos 90.
Formado no Belenenses,(onde era conhecido por
Ribeirinho)Ribeiro foi o único jogador do Elvas
que percorreu todos os escalões do futebol
nacional,desde a 3ª Divisão,quando entrou no
clube em 77,at
é ao escalão principal,onde se
manteve por 2 temporadas,ficando ainda no clube
quando este desceu a 2ª Divisão e ainda fez uma
temporada na,recente na altura,2ª Divisão de Honra.
Nessa sua ultima época,o antigo lateral efectuaria
ainda 30 jogos,tendo na Divisão principal sido
titular em 29 jogos(1 golo)em 86/87 e 15 jogos em
87/88,sempre ao serviço do Elvas,onde,assim que
terminou a carreira de jogador,iniciaria a de
técnico,trabalhando nas camadas jovens do clube
alentejano.
Como treinador Celestino Ribeiro passou por alguns
clubes da zona de Lisboa mas acabou por fixar-se
nos Açores,onde já orientou Praiense,Vit
ória do
Pico
,G.D.Velense,Flamengos e Boavista São Mateus.





Ribeiro,o 2º em baixo,da esquerda,no Elvas em 80/81,
subida á 2ª Divisão





Ribeiro,o 2º em baixo,da esquerda,no Elvas em 85/86,
subida á 1ª Divisão



Celestino Ribeiro,a direita,celebrando a subida do Vitoria 
do Pico a 2ª Divisão em 08/09







Ribeiro,o 7º da esquerda,na fila do meio,na sua primeira
época de sénior no Belenenses














quinta-feira, 21 de outubro de 2010

LUIS

(Luis Natividade Lopes Clérigo,1/10/1930, Montemor-o-Novo)
Interior-esquerdo/ Direito



48/49-União Montemor---jun.
49/50-União Montemor---II
50/51-União Montemor---II
51/52-União Montemor---II
52/53-CUF--------------II
53/54-
CUF--------------II
54/55-CUF--------------I
55/56-CUF--------------I
56/57-CUF--------------I
57/58-CUF--------------I
58/59-Vitória Setúbal--I
59/60-
União Montemor---III
60/61-União Montemor---II





















 

















Luis começou e terminou a carreira no clube
da sua terra natal,o União de Montemor,ficando
na recordação dos adeptos como um dos melhores
jogadores da sua geração saidos de Montemor e
alinhando em clubes da 1ªDivisão Nacional.
Luis Clérigo jogava como "Interior",e ficou
conhecido por ser regular,resistente e jogador
de equipa.
Luis foi importante na histórica subida da CUF
á 1ªDivisão em 1953/54,tendo depois jogado
regularmente na primeira equipa cufista durante
4 temporadas na Divisão principal.






Luis,o 2º em baixo,da direita,Campeão da 2ªDivisão com
a CUF em  1953/54

Ficha de Luis em 1955/56



Recorte retirado do livro "Contributo para a 
historia do Grupo União Sport" de Augusto Mesquita









Luis no União de Montemor





ALBERTINO

(Albertino Batalim Ribeiro,31/3/1933,Lagos)
Avançado / Médio

50/51-Esperança Lagos----jun.
51/52-Esperança Lagos----
III
52/53-Esperança Lagos----
III
53/54-Portimonense-------II
54/55-Portimonense-------
II
55/56-P
ortimonense-------II
56/57-Sporting Covilhã---I

57/58-inactivo
58/59-Silves-------------
III
59/60-Silves-------------III
60/61-Silves-------------III
61/62-Silves-------------III
62/63-Silves-------------II








































Albertino começou por alinhar a avançado-centro
nos juniores do Esperança de Lagos,o clube mais
representativo da sua cidade natal,Lagos.Foi nessa
posição também que deu nas vistas,já nos seniores
do clube lacobrigense ao ponto do vizinho com
mais recursos,o Portimonense,o convidar a mudar
para o clube das margens do Arade.
Três épocas jogando regularmente na primeira equipa
alvi-negra,alinhando ao lado de históricos do clube
barlaventino,como Hilario,Jorge ou os irmãos Sotas,
e Albertino d
á o salto para a 1ª Divisão,indo jogar
no Sporting da Covilhã onde encontrou 3 algarvios
que já davam alegrias aos adeptos serranos já havia
alguns anos,Fernando Cabrita (outro lacobrigense),
Amilcar Cavem
e Helder Toledo.
A estadia na Covilhã(onde era mais conhecido por
Batalim,visto haver um outro Albertino no plantel)
não seria muito longa,apenas uma temporada e
somente 2 partidas disputadas na 1ª Divisão,
muito por culpa da forte concorrência que havia
no plantel covilhanense,como os espanhóis Pedro
Martin e Vitoriano Suárez,avançados de boa
qualidade e quase sempre titulares.
De volta ao Algarve,Alberto ingressa no Silves
onde joga em posições mais recuadas e tendo um
papel importante na equipa de 61/62,quando os
silvenses,reforçados com Manuel Caldeira como
jogador/treinador,obtiveram uma promoção histórica
 
á 2ª Divisão Nacional.
Terminada a carreira de jogador,Albertino continuou
ligado ao futebol por mais alguns anos,treinando
equipas como o próprio Silves cidade onde se
radicou),Lagoa e Armacenenses.








Albertino cabeçeando a bola em 1953/54 no Portimonense
Albertino,com o nº 8, no Silves ao lado de 
Manuel Caldeira,no início de um jogo contra o 
Juventude de Évora


Albertino,o 2º em cima,da esquerda,ao lado do g.r. Daniel,num 
jogo de veteranos em finais dos anos 60,no Estádio S.Luis em Faro.
Reconhecem-se a seguir de Daniel ,Albertino,Delfino,Abreu,??,
Abraão e Jorge Santos.Em baixo:??,José Augusto,Artur 
Santos,Manuel de Oliveira e Manuel Caldeira.


















terça-feira, 19 de outubro de 2010

PASCOAL

(Raul Romeiras Pascoal,7/3/26,Montemor-o-Novo)
Extremo / Interior-esquerdo

42/43-União Montemor----II
43/44-União Montemor----II
44/45-União Montemor----II
45/46-Académica---------I
46/47-
União Montemor----II
47/48-União Montemor----II
48/49-Portimonense------II
49/50-Benfica-----------I
50/51-Benfica-----------I

51/52-União Montemor----II
52/53-União Montemor----II
53/54-União Montemor----II
54/55-União Montemor----II
55/56-União Montemor----II
56/57-União Montemor----II
57/58-União Montemor----II














 











 












Considerado o melhor jogador da história do
Uniao de Montemor,Raul Pascoal começou a ser
utilizado nas primeiras categorias do clube
alentejano logo aos 16 anos de idade.
A primeira experiência longe de Montemor foi
na Académica de Coimbra na 1ª Divisão,on
de
apenas cumpriu uma partida par
a o campeonato
nacional, na primeira equipa dos estudantes.
De volta ao "seu" União,Pascoal ajudou a ganhar
vários titulos de Campeão Distrital da A.F.Évora,

á custa das duas maiores potências da região,
o L
usitano e o Juventude de Évora.
Em 48/49 vai para o Portimonense,onde
é titular
no lado esquerdo do ataque ao lado de dois
"históricos" do clube de Portimão,os avançados
Gilberto e Delfino.
Nesta temporada o Portimonense tem um excelente
comportamento na 2ª Divisão,f
icando muito próximo
da subida ao escalão máximo do noss
o futebol.
Pascoal deu nas vistas e foi contratado pelo
Benfica,que já não era Campeão nacional havia
4 épocas.Com o montemorense,o clube da Luz não
só foi Campeão como alcançou um feito inédito
no nosso futebol.A conquista da primeira Taça
internacional,a Taça Latina,por um clube português.
Pascoal foi titular no primeiro jogo da final
contra o Bordéus,marcando inclusive,um golo,
o ultimo do empate a 3-3.

Ao todo,no Benfica,Pascoal alinhou em 10 jogos na
equipa principal,marcando 5 golos.Foi Campeão
Nacional e vencedor da Taça Latina em 49/50.
De volta a Montemor-o-Novo,Pascoal alinharia
no União ate final da sua carreira,ajudando
o clube a se manter na 2ª Divisão,lutando,
algumas vezes pela subida,como em 51/52 em
que o G.U.S. venceu a Zona D da 2ª Divisão,
perdendo depois no Torneio de accesso para
o Vitoria de Setúbal e Lusitano de Évora.







Pascoal no Benfica
Pascoal,o1ª da direita,em baixo,na Académica de Coimbra


Pascoal,em baixo,á direita,no Portimonense



sábado, 16 de outubro de 2010

GILBERTO

(Gilberto da Glória Vicente,6/4/1918,Portimão)
Avançado

35/36-Sp.Glória ou Morte-Region.
36/37-
Sp.Glória ou Morte-Region.
37/38-Sp.Glória ou Morte-Region.
38/39-Sp.Glória ou Morte-Region.
39/40-Belenenses---------I
40/41-Belenenses---------I
41/42-Belenenses---------I
42/43-Belenenses---------I
43/44-inactivo
44/45-Portimonense-------II
45/46-Portimonense-------II
46/47-Portimonense-------II
47/48-Portimonense-------II
48/49-Portimonense-------II
49/50-Portimonense-------II
50/51-Portimonense-------II
51/52-Portimonense-------II
52/53-Portimonense-------II
















































 



Considerado um dos melhores avançados
algarvio
s de todos os tempos,Gilberto
saiu directamente do Sporting Gl
ória
ou Morte Portimonense
,da 2ª Divisão
Regional do Algarve,para o
Belenenses,
um dos "grandes" da 1ª Divisão nacional.
Nos azuis do Restelo,Gilberto demorou
algum tempo a chegar
á primeira equipa
por força da grande qualidad
e do ataque
belenense da altura, que con
tava com
nomes como Artur Quaresma
e José Pedro,
futuros campeões nacionai
s.
A melhor fase de Gilberto no Belenenses
foi em 41/42,quando foi titular pelos
azuis na final da Taça de Portugal ganha
ao Vit
ória de Guimarães por 2-0,com um
golo do algarvio,e na época seguinte,42/43,

quando marcou 26 golos em 22 jogos com
um recorde de 7 golos numa partida que
terminou com uma goleada histórica do
Belenenses sobre o Vitória de Guimarães:12-0.  
De volta a Portimão,Gilberto ingressa no  
Portimonense,para ser uma das principais 
figuras do clube barlaventino da segunda 
metade dos anos 40 e inicio dos 50.
Nos alvi-negros,Gilberto foi v
árias vezes
o melhor marcador da equi
pa e contribuiu
para grandes campanhas do
clube na 2ª
Divisão,tendo ficado diversas vezes muito
próximo da subida ao primeiro escalão do
futebol nacional,como em 45/46,46/47 ou
48/49.













Gilberto mantinha um recorde europeu desde os anos 40:
O de marcar 5 golos em menos tempo nos mais
importantes campeonatos da Europa.
Gilberto na capa da revista Stadium,quando
ainda representava o Belenenses.
Imagem retirada do blog:
"Belenenses Ilustrado"
Gilberto,em baixo,ao centro,no Portimonense nos anos 40
Gilberto,o2º em baixo,da direita,na selecção do Algarve em 1950
Gilberto,o 3º em baixo da direita,numa equipa de veteranos
 do Portimonense
Cromo de Gilberto retirado do blog