segunda-feira, 14 de outubro de 2019

VITAL

(Eduardo Martins Vital,14/12/1924,Grândola)
Avançado
42/43-S.C.Grandolense      Torn.Pop.
43/44-S.C.Grandolense      Torn.Pop.
44/45-S.C.Grandolense      Torn.Pop.
45/46-Onze Unidos Montijo  II
46/47-Onze Unidos Montijo  II
47/48-Atlético             I
48/49-F.C.Porto            I
49/50-F.C.Porto            I
50/51-F.C.Porto            I
51/52-F.C.Porto            I
52/53-Sporting Braga       I
53/54-Sporting Braga       I
54/55-Tirsense             II
55/56-Tirsense             II
56/57-Tirsense             II
57/58-Caldas               I






Eduardo Vital,mais conhecido apenas por
Vital foi o primeiro jogador alentejano
a fazer figura e a ter sucesso em clubes
do Norte do país.
Eduardo Vital,irmão mais velho de Dinis
Vital,valoroso guarda-redes internacional
e grande figura do Lusitano de Évora
Vitória de Setúbal,começou por jogar nos
Torneios de Futebol Popular pelo Sport
Clube Grandolense,clube da sua terra natal
que,na altura,ainda não competia em provas
federadas.
O primeiro clube "a sério" de Vital foi o
Onze Unidos F.C.,do Montijo,onde começou
por alinhar a extremo direito.
Deu nas vistas no clube do Montijo e logo
foi cobiçado por clubes da 1ª Divisão,sendo
o Atlético o clube para onde se transfere
na época de 1947/1948.
No clube alcantarense é o melhor marcador
da equipa e um dos melhores a nível nacional
com 23 golos em 26 jogos no Campeonato
Nacional.
Na época seguinte,1948/1949,Vital é contratado
pelo F.C.Porto mas desentendimentos entre
o Atlético,Vital e o clube nortenho fazem com
que o avançado alentejano fique algum tempo
castigado e sem jogar.
Mesmo assim,Vital faz 10 golos em 14 jogos
nessa temporada pelo F.C.P.
No total foram 4 boas épocas de Vital no
grande clube portuense,fazendo um total de
37 golos em 55 jogos na 1ª Divisão.
Eduardo Vital entrou também na história
do F.C.Porto por ter sido o autor do golo
1.000 na 1ª Divisão,obtido em 1952.
Em 1952/1953,Vital passa para o Sporting de
Braga onde continua a ser um atacante influente
e goleador.
A seguir,o jogador alentejano vai para o
Tirsense,na 2ª Divisão,onde continua a marcar
golos com grande regularidade sendo sempre
o melhor marcador da equipa em 3 temporadas.
Em 1957/1958,Vital ainda é contratado pelo 
Caldas que tinha subido á 1ª Divisão,tendo o 
já veterano atacante jogado 12 jogos e marcado 
5 golos,um dos melhores da equipa,contribuindo 
para a manutenção do clube no escalão máximo do
nosso futebol.









Vital em destaque na revista "Stadium" em 1948

























Eduardo Vital,o 3º em baixo,da esquerda,no Atlético
em 1947/1948












Vital e o seu castigo em 1949





















Vital,o primeiro á direita,no F.C.Porto na época de 1949/1950

Vital,autor do golo 1.000 do F.C.Porto
na época de 1951/1952


























Vital titular no Sporting de Braga em 1952/1953















Vital,o melhor marcador do Tirsense em 1955/1956

Vital,o melhor marcador do Tirsense em 1956/1957

Vital,o 2º em baixo,da direita,no Caldas em 1957/1958























sexta-feira, 11 de outubro de 2019

JOÃO RUAÇA

(João Manuel Ruaça Cabrita Guerreiro,27/11/1954,Paderne)
Avançado / Extremo
76/77-Padernense      torneio popular
77/78-Padernense      torneio popular
------------------------------------
83/84-Padernense      torneio popular
84/85-Padernense      torneio popular
85/86-Padernense      torneio popular
86/87-Padernense      Dist.
87/88-Padernense      Dist.
88/89-Padernense      Dist.

















João Ruaça é um dos maiores nomes da
história do futebol no Padernense Clube,
que permanece ligado ao clube do concelho 
de Albufeira desde os anos 70,altura em que 
o Padernense era apenas uma agremiação 
recreativa e cultural sem futebol federado.
João Ruaça jogou no Padernense nos Torneios
populares,antes da inscrição na Associação
de futebol do Algarve.
Foi João Ruaça,juntamente com Luis Alho,Luis
Neves,Arménio Aleluia e outros,que levaram
o clube a inscrever a equipa de futebol no
Distrital,a partir da época de 1986/1987,na
2ª Divisão Distrital.
Ruaça fez parte dessa primeira equipa e ainda
fez mais duas temporadas no Distrital,tendo
terminado a carreira de jogador aos 35 anos.
Depois continuou no clube em vários cargos,
como treinador nas camadas jovens,seccionista
e director do departamento de futebol.




João Ruaça,o 3º em baixo,da esquerda,no Padernense
em 1976/1977










João Ruaça,o 2º em baixo,da esquerda,no Padernense
nos anos 80


João Ruaça,o 3º em baixo,da direita,no Padernense










João Ruaça,em cima,á esquerda,seccionista no Padernense
em 1989/1990












João Ruaça em cima,á direita com as equipas jovens
do Padernense



João Ruaça,o 6º da esquerda,na fila do meio,ao lado do
treinador Paulo Campos,no Padernense em 1996/1997
como director do departamento de futebol

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

MARCO BENJE

(Marco Pedro Alves Benje Neto,18/1/1971,Lisboa)
Avançado
83/84-Farense            ini.
84/85-Farense            ini.
85/86-inactivo
86/87-Farense            juv.
87/88-Farense            jun.
88/89-Farense            jun.
89/90-G.D.Penha          Dist.
90/91-G.D.Penha          Dist.
91/92-Padernense         Dist.
92/93-Padernense         III
93/94-Lusitano V.R.S.A.  III
94/95-Padernense         III
95/96-Vianense           II B
96/97-Sporting Lamego    II B
97/98-inactivo
98/99-Padernense         III
99/00-Padernense         Dist.
00/01-Padernense         III
01/02-Messinense         Dist.
02/03-Messinense         III
03/04-Messinense         III
04/05-Silves             III
05/06-Messinense         III
06/07-Messinense         II B
07/08-Ferreiras          III
08/09-Ferreiras          Dist.
09/10-Messinense         Dist.
10/11-Messinense         III
11/12-Messinense         III
12/13-Imortal            Dist.
13/14-Imortal            Dist.
14/15-Imortal            Dist.
15/16-Imortal            Dist.
15/16-Messinense         Dist.
16/17-Messinense         Dist.



























































Filho do histórico Guarda-redes Pedro Benje,
Marco Benje foi um possante avançado que 
construiu uma das mais longas e bem sucedidas
carreiras do futebol algarvio de todos os
tempos.
Com um percurso que só terminou aos 46 anos,
Marco Benje começou no Farense,onde seu pai
se notabilizou,fazendo todo o percurso nas
camadas jovens até aos séniores,tendo ai sido
cedido ao G.D.Penha onde cumpriu os dois
primeiros anos de sénior.
Em 1991/1992 transfere-se para o Padernense,
pela mão de Joaquim Sequeira,antigo jogador
do Farense dos tempos de Pedro Benje,para
conquistar o seu primeiro título Distrital,
o primeiro também da história do Padernense.
Marco Benje teve depois passagens pelo Lusitano
de V.R.S.A. e pelo Norte,onde representou
Vianense e Sporting de Lamego.
Uma lesão grave interrompeu a sua carreira
por vários meses até recomeçar de novo no
Padernense onde se sagrou Campeão Distrital
pela segunda vez em 1999/2000,sendo o melhor
marcador da equipa com 23 golos.
Em 2001/2002 passa para o Messinense onde
continua a fazer história,contribuindo com
29 golos (o melhor marcador do Distrital) para
o título de Campeão Distrital,o primeiro da
história do clube de São Bartolomeu de Messines.
Marco Benje está também na única subida do
Messinense á 2ª Divisão B em 2005/2006,o nível
mais alto alcançado pelo clube do concelho de 
Silves.
Os últimos títulos de Marco Benje foram mesmo
ao serviço da U.D.Messinense,em 2009/2010 
novamente Campeão Distrital,e em 2015/2016,
Campeão da 2ª Divisão Distrital.
Marco Benje representou também o Imortal de
Albufeira por 4 épocas onde foi capitão de equipa.
Ao todo Marco Benje foi 5 vezes Campeão do
Algarve,sendo quase sempre a referência no
ataque e melhor concretizador das equipas onde
atuou.









 
Marco Benje,o 4º em baixo,da esquerda,na equipa
de juvenis do Farense em 1986/1987




Marco Benje,o 3º em baixo,da esquerda,no Padernense
Campeão Distrital em 1991/1992



Marco Benje,o 2º em cima,da esquerda,no Padernense
em 1992/1993




Marco Benje,o 2º em cima,da esquerda,no Lusitano de
V.R.S.A. em 1993/1994

Marco Benje,o 4º da esquerda,em baixo,no Padernense
em 1999/2000 com a faixa de Campeão Distrital

Marco Benje,o 3º em baixo,da esquerda,no Messinense
em 2001/2002,Campeão Distrital
Marco Benje,em cima,á direita,no Messinense em
2005/2006,subida á 2ª Divisão B


Marco Benje com o seu irmão Túlio Benje


Marco Benje,o 2º em cima,da direita,no Messinense
em 2009/2010,Campeão Distrital

Marco Benje em 2012/2013 quando chegou ao Imortal de
Albufeira



Marco Benje,á direita,capitão do Imortal em 2013/2014










quinta-feira, 19 de setembro de 2019

JOÃO CAIXAS

(João José Matias Caixas,19/6/1950,Elvas)
Guarda-redes
64/65-O Elvas           juv.
65/66-O Elvas           juv.
66/67-O Elvas           jun.
---------------------------*
70/71-O Elvas           Dist.
71/72-inactivo
72/73-Derby S.Vicente   I(C.Verde)
73/74-Derby S.Vicente   I(C.Verde)
74/75-Os Elvenses       Dist.
75/76-Os Elvenses       III
76/77-Os Elvenses       III
77/78-Académica S.Luzia Dist.
78/79-Académica S.Luzia Dist.
79/80-Os Elvenses       III
80/81-Os Elvenses       Dist.
81/82-Os Elvenses       Dist.
82/83-Os Elvenses       Dist.
83/84-Os Elvenses       Dist.
84/85-Os Elvenses       Dist.
----------------------------*
88/89-J.Terrugem        Dist. 

*inactivo















































João Caixas,popular e valoroso Guarda-redes
que fez toda a sua carreira em clubes de
Elvas,a sua terra natal.
Caixas foi um dos poucos jogadores que se
sagrou Bi-campeão Distrital pelo C.F.Os 
Elvenses,primeiro em 1974/1975 e a segunda 
vez,10 anos depois,em 1984/1985.
João Caixas começou por jogar nos juvenis
do Elvas C.A.D. onde fez parte da equipa
que se sagrou Campeã Distrital em 1965/1966.
Depois de alguns anos em que deixou  futebol
para se dedicar a outros desportos,como o
Andebol e Futebol de 5,Caixas voltou ao
Elvas no ano,1970/1971,em que o histórico 
clube da raia alentejana se sagra Campeão 
Distrital e regressa aos campeonatos nacionais.
Durante o serviço militar em Cabo Verde,
Caixas representa o Derby de São Vicente.
João Caixas jogou também na Académica de
Santa Luzia,pequeno emblema de Elvas,antes
de voltar ao Elvenses para jogar até aos
35 anos.
João Caixas ainda voltou a jogar no Juventude
de Terrugem e depois continuou activo alinhando
pelas equipas de veteranos do Elvas C.A.D. e
Elvenses.






João Caixas,o 2º em cima,da direita,na equipa de juvenis
do Elvas C.A.D.,Campeão Distrital de Portalegre




Caixas,em cima,á esquerda,numa equipa de Elvas
de futebol de 5 da F.N.A.T.

Caixas,o 3º em cima,da esquerda,no Elvenses em
1974/1974,Campeão Distrital










Caixas,em baixo,á esquerda,nos Elvenses em 1975/1976





Caixas titular nos Elvenses em 1976/1977






João Caixas,assinalado,na equipa de veteranos do 
Elvas C.A.D.em jogo contra as "velhas guardas" do 
Benfica nos anos 80


































(Dados fornecidos pelo próprio)

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

GUERREIRO

 (Francisco Manuel Profírio Guerreiro,28/9/1956,Beja)
Avançado
71/72-Despertar Beja           juv.
72/73-Despertar Beja           juv.
73/74-Desportivo Beja          jun.
74/75-Desportivo Beja          jun.
75/76-Vasco da Gama Vidigueira Dist.
76/77-Despertar Beja           Dist.
77/78-Despertar Beja           Dist.
78/79-Zona Azul Beja           Dist.
79/80-Cabeça Gorda             Dist.
80/81-Cabeça Gorda             III
81/82-F.C.Serpa                III
82/83-Cabeça Gorda             Dist.
83/84-Mineiro Aljustrelense    Dist.
84/85-Cabeça Gorda             Dist.
85/86-F.C.Rolle Vaudois        Dist.(Suiça)
86/87-F.C.Rolle Vaudois        Dist.(Suiça)
87/88-F.C.Saint-Jean Genéve    III(Suiça)
87/88-Cabeça Gorda             Dist.
88/89-A.S.P.Genebra            Dist.(Suiça)
89/90-A.S.P.Genebra            Dist.(Suiça)
90/91-A.S.P.Genebra            Dist.(Suiça)
91/92-A.S.P.Genebra            Dist.(Suiça)






Guerreiro fez a formação no futebol nos
dois clubes mais representativos de Beja,
o Desportivo e o "rival" Despertar.
Quando passou a sénior,Guerreiro jogou
uma temporada no Vasco da Gama da Vidigueira,
voltou ao Despertar e fez uma temporada
também no Zona Azul,também de Beja.
Em 1979/1980,Guerreiro chega ao Cabeça
Gorda para fazer parte do melhor período
da história pequena colectividade alentejana.
Assim,logo nessa temporada o "Ferróbico"
sagra-se Campeão (pela primeira vez) do
Distrital de Beja,ascendendo á 3ª Divisão
Nacional,com Guerreiro como uma das suas
principais figuras e o melhor marcador da
equipa com 35 golos.
Na época seguinte,Guerreiro continuou a ser
o melhor marcador da época na 3ª Divisão,8 golos,
e o Cabeça Gorda continua a fazer história,desta 
vez na Taça de Portugal,eliminando dois emblemas 
muito mais fortes e de divisões superiores:o 
Leixões da 2ªDivisãoe o Penafiel,então na 1ª 
Divisão.
Na época seguinte,Guerreiro passa para o
F.C.Serpa,na 3ª Divisão,retornando ao Cabeça
Gorda na época seguinte.
Em 1983/1984 no Aljustrelense,Guerreiro
sagra-se Campeão Distrital pela segunda vez.
Depois de mais uma época no "seu" Cabeça
Gorda,Guerreiro vai para a Suiça onde continua
a jogar em equipas hélveticas dos Regionais e 
da 3ªDivisão.
Termina a carreira de jogador perto dos 40
anos na Association Sportive Portugais de
Genéve,agremiação dos portugueses de Genebra,
onde se manteve vários anos como treinador.





Guerreiro,o 1º em cima,da esquerda,nos juvenis do
Despertar de Beja









Guerreiro,o 2º em cima,da direita,nos júniores do Desportivo
de Beja


Guerreiro,o 3º em baixo,da esquerda,no Cabeça Gorda
em 1979/1980,Campeão Distrital




















Guerreiro,o 2º em cima,da direita,no Cabeça Gorda 
em 1980/1981













Chico Guerreiro em destaque no jornal " A Bola" em 1980



















































Guerreiro,o 2º em baixo,da esquerda,no Cabeça Gorda
nos anos 80






Guerreiro em destaque no jornal "A Bola"


































Chico Guerreiro,em cima,á direita,treinador da equipa da
Associação Portuguesa de Genebra na Suiça



























(Dados fornecidos pelo próprio)