segunda-feira, 15 de setembro de 2008

HÉLDER

(Helder Santana Toledo,20/10/1928,Vila Real de Santo António)
Defesa
46/47-Lusitano V.R.S.A.-----II
47/48-Lusitano V.R.S.A.-----I
48/49-Lusitano V.R.S.A.-----I
49/50-Lusitano V.
R.S.A.-----I
50/51-Lusitano V.R.S.A.-----II
51/52-Sporting Covilhã------I
52/53-Sporting Covilhã------I
53/54-Sporting Covilhã------I
54/55-Sporting Covilhã------I
55/56-Sporting Covilhã------I
56/57-Sporting C
ovilhã------I
57/58-Sporting Covilhã------II
58/59-Sporting Covilhã------I
59/60-Sporting Covilhã------I
60/61-Sporting Covilhã------I
61/62-Sporting Cov
ilhã------I













































Hélder foi o autor do primeiro golo do
Lusitano de V.R.S.A. na 1ªDivisão,em 16
de Novembro de 1947,na época de estreia
dos lusitanistas no máximo escalão do
futebol nacional.
Defesa de origem,Hélder Toledo,com apenas
19 anos,jogou a avançado nessa partida,a 
primeira jornada da temporada de 1947/1948.
Hélder foi mais utilizado na segunda e
terceira temporada do Lusitano na 1ªDivisão,
ficando ainda na época de 1950/1951,já no
segundo escalão.
Contratado pelo Sporting da Covilhã,na
companhia de outros jogadores algarvios de
grande valor,como eram Fernando Cabrita ou
os irmãos Cavém,Hélder Toledo continuou a
sua carreira na Serra da Estrela por mais
11 temporadas,sempre na Divisão principal,
com exceção de uma época,tornando-se também 
num jogador emblemático dos "Leões da Serra". 





Hélder marcador do golo no jogo de estreia do Lusitano na 
1ªDivisão em 1947


Hélder,o 3º em cima,da direita,titular no Lusitano em 1949/1950


Hélder,o 2º em cima,da direita,no Sporting
da Covilhã em 1955/1956

Pequena biografia de Hélder Toledo no Livro da História
do Sporting da Covilhã 

Hélder Toledo,em cima,á direita,no Lusitano de V.R.S.A


Ficha de Hélder em 1955/1956
Hélder,em cima,ao meio,num encontro de velhas 
glorias do Lusitano





2 comentários:

Carlos Machado Acabado disse...

Lembro-me perfeitamente deste Hélder. Comove-me, de resto, ver aqui homens que foram ídolos da minha meninice quando os rostos deles saiam naqueles rebuçados muuuuuito foleiros (açúcar---pouco!---água e farinha---muitas---embrulhados nos cromos...) que custavam... um tostão. Tive um tio, inglês, já falecidon (o mei Tio Wilfred, Deus lhe tenha a alma em descanso!) diplomata que, quando estava em Portugal, me dava (imagine-se!) naquela altura (mil novecentos e cinquenta e tal) cinco escudos POR DIA para "bonecos da bola", como a gente dizia...
Era uma festa!
Bonecos aos montes.
Só do Covilhã, estavam lá este Hélder, estavam os Cavéns (o Amílcar e o Domiciano, dois outros algarvios), estava o Rita (ainda um algarvio), estava o Couceiro (o pai do treinador do Kaunas que foi júnior do Sporting), estava o Suarez, o Manteigueiro, eu sei lá!
Fopi (É!) bom recordar!
Obrigado pelo ensejo de fazê-lo!

Luis Antonio disse...

Dessas velhas glórias do Lusitano reconheço o Calvinho em baixo